Home Templo de Estudos Maçônicos MAÇONARIA: SAUDAÇÃO À BANDEIRA NACIONAL
MAÇONARIA: SAUDAÇÃO À BANDEIRA NACIONAL Imprimir E-mail
Escrito por Honório Ferreira Harmond   
Qua, 21 de Novembro de 2012 17:00

Obs: o texto abaixo é inédito e só agora vem a público. Trata-se de saudação à Bandeira do Brasil ,  escrita pelo Príncipe dos Poetas Mineiros Honório Ferreira Harmond no ano de 1940.

Esta saudação foi proferida  em festa cívica do Dia da Bandeira na Centenária Loja Maçônica Regeneração Barbacenense , Barbacena-Minas Gerais , da qual fazia parte o eminente poeta.

“ Querida Bandeira de minha terra  , __ quantas vezes , para minha honra e para meu prazer,  tenho eu te saudado , em nobres e altos momentos de alegria e de esplendor ! __Em meio ao brilho espelhante das armas , ao ritmo gritante dos sons dos clarins , enquanto desabrochas as tuas cores por entre a policronia dos uniformes e o palpitar aéreo dos pavilhões , já te sonhei  bandeira de glórias e de esperanças , entre os soldados sobre cujas cabeças te alteias como promessa de combates , de vitórias e de exaltações ! __ Ao som dos hinos e dos cânticos , por entre flores e palmas , já te elevei os anseios de meu coração e o incenso  do meu culto , por entre as filas alegres e risonhas da mocidade das escolas , cohorte vanguardeira da Patria , primaveril esperança  do Brasil de amanhã ! Entre os rudes homens do trabalho que , com suas mãos construtoras , marcam , na oficina , no campo , nas ruas e nos arsenais , o compasso trepidante do trabalho que erige as civilizações , eu já te disse , ó Bandeira , da minha fé confiante , das minhas supremas esperanças e do meu transcendente amor . __E nunca me senti tão emocionado como agora me sinto, ao te saudar , Pavilhão de minha Pátria , por que me parece a mim que nesta hora torva , monstruosa e marcante da história do homem sobre a terra , estás  aqui , sendo saudada por algumas consciências livres reunidas em torno do símbolo de uma Pátria livre e em nome de um ideal superior ! ___Recebe , pela minha boca , ó bandeira , a saudação dos teus filhos ! ___ Em ti contemplamos o transcento e a espiritualização da Terra-mãe .

__Quando  , batida pelos ventos do céu , abres os teus panos no espaço como uma flor espansa em hasto , neles vemos a selva amazônica  de mistério e encantamento , o musical aflar dos palmares nordestinos , a onda verde dos cafezais do centro , a heróica planura gaúcha  onde ruiva o minuano a galope livre , o descendente do indomável Chuí . __Poente de ouro jaede e de ouro cinábio ! Ouro da terra e Ouro do Céu ! Nuvens fantasiosas que guardais no vosso bojo  errante os incêndios florais das madrugadas e dos ocasos brasileiros ! “ Ouro nativo que , na ganga impura , a bruta mina , entre os cascalhos vela “! __ Aos azuis que vos arqueais sobre a paz civilizadora das nossas cidades e dos nossos campos , e para os quais , por esse maravilhoso tropismo que irmana almas e chamas , sobem as chamas dos círios votivos e as almas que se espiralam entre os braços da Esperança “ a divina mentira , que deu ao homem o Dom de suportar o mundo “! __ Sementeira de sóis  ! Via Lactea ! Infinito espaço calmado de astros , pátria , talvez , de seres melhores , mais justos e mais puros que nós outros . ___ A tua contemplação é uma perene lição de humanidade ! Deus é bem maior do que tudo quanto possamos imaginar ! E tu , ó poeira astral que ardes nos infinitos intermundios,   tu me ensinas que tão  louco é  o homem que nega Deus como aquele que o define ! ___ Lírio ,  portentoso luzeiro do  espaço ! Signo do ardente caminho , que tão bem simbolizas na tua dupla massa de luz azul  como a ilusão deforma em fantasia , como a verdade é relativa e como são iguais , aos olhos do Grande Arquiteto do Universo , o íon invisível e o sol ovante ! ___ E ainda o Escorpião agressivo e Antares , rubro fruto de luz suspenso da arvore da noite , e a Espiga , a lira companheira das noites de Hiparco ___ nosso longínquo e recuado irmão cujo maravilhoso gênio permitiu que o homem levasse a precisão aritmética do número e da medida aos frios espaços intersolares ! E se assim representas o guião da Pátria e da gente , na tua conformação , nas tuas cores , nos teus símbolos , o corpo e o espírito , a terra boa , o céu sereno , o mar nostálgico e azul , astros , sonhos de progresso e afirmações fraternas de paz , muito mais nos dizes no teu brando tatalar de asa  porque nos teus panos dorme o espírito imortal da raça , a alma das extintas legiões que criaram e defenderam , na paz e na guerra ,  a Pátria que é nossa e de nossos filhos ! ___ É isto que vejo , sinto e traduzo no teu drapejar orgulhoso : __Sonhos de Bandeirantes e Pioneiros , mundos fantasmas de soldados e marujos , manes de sábios e juristas , lares de obreiros anônimos que veneram a mata , edificaram a casa , violaram a natureza , anularam a distância , escreveram o livro , criaram a consciência jurídica da Nação , venceram ou morreram no campo em que jogavam os destinos do Brasil .

___ Sinto no teu gesto de acolhida o vôo de braços que se abrem das mães sacrificadas no trabalho de cada dia e dos pais que se mataram na luta humilde e obscura dos lares que a fartura esqueceu a fim de que os filhos fossem mais do que eles foram e mais do que eles tivessem na terra boa do Brasil ! ___ És , por assim dizer , o lugar geométrico do nosso orgulho , da nossa esperança e do nosso amor !  ___ Bandeira livre de um povo feliz ! ___ Consente que um de teus filhos te diga do teu afeto nesta hora de fraternas  expansões , nesta oficina de trabalho , neste templo mais velho que a civilização , onde se cultiva , acima de tudo , a solidariedade humana ! ___ Consente que seja a minha voz o ressoador onde se unifiquem as vozes laudatórias daqueles que , em torno de ti , se rendem no anseio supremo de viverem com dignidade , cultuando a verdade , odiando o ódio , amando o amor , confiando na justiça , esperando no Direito e praticando o bem sem rodeios infantis e teológicos de castigos , nem fúteis e mesquinhos anseios de recompensa sejam uns e outros da terra ou do céu ! ___ Glória a ti , Pendão Brasileiro ! ___Teus filhos te saúdam com os corações voltados para o triângulo místico com que nos acena:  __ Ordem por base ; Amor por princípio : Progresso por fim ! .”

............................................................................................................

Nota : Honório de Almeida Armond ,que também assinava Honório Ferreira

Armond , II 27 de junho  1891 –Barbacena –MG , > 12 de dezembro  1958 , foi Poeta , Professor e Maçom . Membro ativo da Centenário Loja Maçônica Regeneração Barbacenense , de Barbacena –MG , dignificou a Maçonaria mineira e brasileira, tendo atuado como Secretário da Loja e Orador .

Como Professor , Honório Armond  militou no ensino de Francês , Latim e Língua Portuguesa em vários colégios de Barbacena , com destaque, na nossa Tradicional  Escola Preparatória de Cadetes do Ar ( EPCAR) e no antigo Ginásio Mineiro , tendo sido , ainda diretor da Escola de Menores Lima Duarte , em Sítio , hoje Antônio Carlos. Foi  também professor da Escola Agrotécnica de Barbacena .  Seu conhecimento intelectual habilitou-o a reger aulas de geografia e cosmografia . Seus alunos de ontem , hoje sexagenários , são unanimes em afirmar que Honório era realmente um grande mestre.

Literariamente , escrevendo versos lapidares ,  seguiu os ensinamentos de Charles Baudelaire , Verlaine , Rimbaud , Gerard de Nerval , Paul Valery e Mallarme.

Nascer , morrer , amar , ter prazer e sofrer são abordagens de suas obras, fundamentadas no “drama de existir”. É comparado aos simbolistas Alphonsus de Guimarães e Cruz e Souza , porém a autenticidade de seus versos fala alto aos críticos literários do vanguardismo  . É um poeta cuja obra deveria ser lida e analisada pela elite intelectual , considerando os paradoxos entre o moderno e o tradicional ..

Em seu livro “Barbacena a terra e o homem”,Vol. 1. Ed. I.O-MG ,Belo Horizonte .1995. ( p.154-159) ,  o historiador Nestor Massena informa que :

“Honório Armond , de modéstia que tocava as raias da morbidez , figura ímpar no mundo intelectual de Barbacena , foi consagrado , em concurso da Academia Mineira de Letras , o príncipe dos poetas mineiros. Credenciaram-no a essa gloriosa investidura Perante o Além , Ignota Déa e Les Voix et les Bonheurs , além de vasta produção esparsa em vários órgãos de publicidade.”

Ainda , segundo Nestor Massenas , Honório Armond quis abdicar do título por ser modesto demais , transferindo-o para José Oiticica , através de carta ao Jornal  A noite .

Oiticica , pelo Correio da Manhã , de 14 de maio de 1927 , retratou a figura de Honório como – sério , com ar de sétimo dia , cabelo de ouriço , estrábico do olho esquerdo ,mais com jeito de half-back ou caixeiro alemão, do que poeta . E oiticica nega ao príncipe o direito à abdicação : O título , por todas as leis e convenções internacionais , é intransferível . Ainda que eu fosse,  na realidade, o melhor poeta mineiro , não te compete substituir tua opinião pessoal à dos teus patrícios.

Seu livro “PERANTE O ALÉM”, publicado em 1921 foi considerado obra prima por Humberto de Campos e Agripino Grieco. O modernista Carlos Drumond de Andrade , mineiro de Itabira , foi amigo e correspondente de Honório Armond , bem como Tristão de Ataíde , Belmiro Braga , Abgar Renaut .

O renomado memorialista Dr. Pedro Nava , autor de “Baú de Ossos” , quando escreveu o livro “Beira Mar” fez referência ao “Príncipe dos Poetas Mineiros nos seguintes termos : “A linguagem armondiana é de lapidar riqueza , não só por sua incomum erudição , como pela originalidade que permeia suas criações.”

Neologismo , latinismo e helenismo estão presentes nos versos pungentes de Honório Armond .

Galicista por excelência , os títulos de suas obras literárias  denunciam a vasta cultura desse  mineiro invulgar e do maçom humilde que ficou desconhecido pela Ordem e pelos irmãos pouco afeitos aos livros e aos sábios.

Sou daqueles que lutam para que nossas Universidades se preocupem em disseminar a poesia  desse barbacenense e que as teses de mestrado se voltem para a obra armondiana , verdadeiramente atrativa e insólita.

OBRAS PUBLICADAS

- Ignotae Deae – 1917

- Perante o Além – 1921

- Sombra e Saudade

- Sunt Voces

- Milagre das Rosas

- Les Voix et Les Bonheurs – 1932

- Era uma vez ... 1922 – ( peça representada em teatros)

- Saudade

- Os caminhos da Vida e do Destino – Inédito ( 1991)

Honório Ferreira Armond ocupou e é Patrono da Cadeira nº 38 da Academia Mineira de Letras e Patrono da Cadeira nº 18 da Academia Barbacenense de Letras.

Barbacena , novembro 2004

 

Por Hélio Leite

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

 
Livro Banquete Maçônico
Banner
Visitantes Online
Nós temos 33 visitantes online
Twitter

Nos siga no Twitter

Idiomas / Language
English French German Spain Italian
Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Publicidade
Banner
Banner
Banner
Banner