Home Templo de Estudos Maçônicos REGRAS RITUALÍSTICAS MAÇÕNICAS – 02
REGRAS RITUALÍSTICAS MAÇÕNICAS – 02 Imprimir E-mail
Dom, 16 de Janeiro de 2011 14:00

REGRAS RITUALÍSTICAS MAÇÕNICAS – 02

 

Helio P. Leite

16.01.2011

A CHAMADA RITUALÉ ASSIM DENOMINADO O ATO DE BATER À PORTA DO TEMPLO; CADA GRAU POSSUI GOLPES DISTINTOS PARA IDENTIFICAÇÃO. AQUI CHAMAMOS A ATENÇÃO DE QUE APENAS O MESTRE DE CERIMÔNIAS TEM ESSA PRERROGATIVA DE BATER À PORTA DO

TEMPLO. NO CASO DE UM RETARDATÁRIO (QUE A RIGOR NÃO DEVE HAVER), ELE DARÁ AS BATIDAS CONVENCIONAIS, MAS A PORTA NÃO LHE SERÁ ABERTA; É NECESSÁRIO QUE O M\ DE CCERIM\,

 

DEVIDAMENTE AUTORIZADO, SAIA DO TEMPLO, PARA DEPOIS RETORNAR ÀS BATIDAS, POIS NINGUÉM PODE ADENTRAR UMA VEZ INICIADOS OS TRABALHOS, PARA QUE A HARMONIA DOS MESMOS NÃO VENHA A SER QUEBRADA. ESSA PRÁTICA É PROFUNDAMENTE ESOTÉRICA, E A MAÇONARIA PRIMA NA OBSERVÂNCIA DESSES PRECEITOS.

A                                                                        AO ADENTRARMOS AO TEMPLO, ESTAREMOS PENETRANDO EM UM MUNDO MUITO DIFERENTE DO QUE PODEMOS VER COM NOSSOS OLHOS FÍSICOS. PARA FAZÊ-LO DE MANEIRA ADEQUADA, PRECISAMOS NOS DESLIGAR DO MUNDO EXTERIOR E NOS PREPARAR PARA ENTRAR EM UM MUNDO BASEADO EM NOSSA VISÃO INTERIOR E EM NOSSO CONHECIMENTO. EXPLORAR ESSE INTERIOR NOS FARÁ VIVER UMA EXISTÊNCIA PLENA E UMA VIDA MAIS FELIZ. AO NOS HABITUARMOS A UTILIZAR NOSSO CONHECIMENTO INTERIOR, COMEÇAREMOS A SUBSTITUIR O MEDO PELA VERDADE EM CADA SITUAÇÃO DE VIDA, E NUNCA MAIS OLHAREMOS PARA O MUNDO FÍSICO DA MESMA MANEIRA.

MEMBRO DE UMA LOJA MAÇÔNICA – SER MEMBRO DE UMA LOJA SIGNIFICA ASSOCIAR-SE A ELA E PARTICIPAR DAS SUAS ATIVIDADES, USUFRUINDO DIREITOS E CUMPRINDO DEVERES, APROVEITANDO CADA DIA E CADA MOMENTO, COMO UMA BÊNÇÃO RENOVADA. MEMBRO ATIVO É O MAÇOM QUE FREQUENTA ASSIDUAMENTE A LOJA E CUMPRE COM AS OBRIGAÇÕES ESTATUTÁRIAS. TODA ASSOCIAÇÃO CONTA COM A PRESENÇA ASSÍDUA DE SEUS ASSOCIADOS. É DEVER DO MAÇOM DAR ASSISTÊNCIA À SUA ASSOCIAÇÃO, SOB PENA DE ENFRAQUECÊ-LA E ATÉ ADORMECÊ-LA.

O CENTRO DA LOJA - A LOJA MAÇÔNICA TEM A FORMA DE UM QUADRILÁTERO; PORTANTO, DESENHADAS AS SUAS DIAGONAIS, NA INSERÇÃO DAS LINHAS SURGE UM PONTO QUE SE DENOMINA DE CENTRO GEOMÉTRICO DA LOJA. NESSE CENTRO SERÁ COLOCADO O ARA OU ALTAR.

ESSE CENTRO, CONTUDO, DEVE SER CONSIDERADO COMO “SIMBÓLICO”, PELA IMPOSSIBILIDADE PRÁTICA DE CONSEGUI-LO. POR OUTRO ÂNGULO, O MAÇOM, DENTRO DA LOJA, CONSTITUI O SEU CENTRO, CONSIDERANDO QUE CADA MAÇOM POSSUI O SEU PRÓPRIO TEMPLO INTERNO. O MAIOR DOS SÍMBOLOS MAÇÔNICOS É O PRÓPRIO MAÇOM, E ASSIM É O CENTRO DE TODA LITURGIA, DE TODO TRABALHO E DE TODO O INTERESSE.

PORTANTO, COMO CENTRO, O MAÇOM DEVE CONSCIENTIZAR-SE DE QUE POSSUI INESTIMÁVEL VALOR NAS SESSÕES MAÇÔNICAS. E COMO CENTRO, O MAÇOM ASSUME MAIOR RESPONSABILIDADE, EM TUDO.

O ALTAR – O MAÇOM TEM CONSCIÊNCIA QUE POSSUI DENTRO DE SI UM TEMPLO ÍNTIMO, TODO SEU, NESSE TEMPLO EXISTE UM ALTAR INVISÍVEL PARA O MUNDO, MAS PALPÁVEL PARA AQUELE QUE CRÊ.

NA MAÇONARIA TEMOS DOIS ALTARES: O SAGRADO E O DOS PERFUMES. NO ALTAR SAGRADO ONDE FICA O VENERÁVEL MESTRE E ONDE, NA PRIMITIVA MAÇONARIA (E ATÉ HOJE EM MUITOS RITOS), ERAM TOMADOS OS JURAMENTOS; POSTERIORMENTE, EM ALGUNS RITOS, CRIOU-SE UMA MESA AUXILIAR, CONSIDERADA COMO EXTENSÃO DO ALTAR E QUE DARIA ORIGEM, NESSES RITOS, AO ALTAR DOS JURAMENTOS, QUE, COMO EXTENSÃO DO ALTAR, FICA NO ORIENTE (EMBORA ALGUMAS OBEDIÊNCIAS O TIVESSEM LEVADO PARA O CENTRO DO TEMPLO, EM DESACORDO COM SUAS ORIGENS) SOBRE ELE COLOCADOS O LIVRO SAGRADO, O COMPASSO E O ESQUADRO. ESSAS JÓIAS SÃO CONSIDERADAS SAGRADAS PORQUE REPRESENTAM O TRABALHO ORIENTADO PELA LEI DIVINA.  QUANTO AO ALTAR DOS PERFUMES, A BÍBLIA (EX. 30 – 1-10) REFERE-SE À ORDEM DADA POR DEUS A MOISÉS PARA A CONFECÇÃO DE UM ALTAR PARA NELE SE QUEIMAR INCENSO.  EM MAÇONARIA O INCENSO QUEIMADO É O SÍMBOLO DA PRECE.

NOS MOMENTOS DE ENTREGA MENTAL, O MAÇOM DIANTE DESSE ALTAR, ÍNTIMO, TODO SEU, ELEVA AOS CÉUS O SEU PENSAMENTO DE GRATIDÃO, PELA VIDA QUE LHE É O BEM MAIOR. TRATA-SE DE UMA LITURGIA INTIMISTA, QUE É PRATICADA SÓ, EM UM CONTATO COM O CRIADOR.

O TRONO DO VENERÁVEL MESTRE – IMPROPRIAMENTE, DIZ-SE QUE O VENERÁVEL MESTRE E OS VIGILANTES OCUPAM OS ALTARES RESPECTIVOS; O QUE VEM A SER OCUPADOS SÃO TRONOS. O TRONO DO VEN\ M\ É VISUALIZADO O TEMPO TODO DA DURAÇÃO DE UMA SESSÃO, POIS O DIRIGENTE DA LOJA ENCONTRA-SE CENTRALIZADO. NOSSA ATENÇÃO DEVE SER PERMANENTE, UMA VEZ QUE O VEN\M\ ATUA COMO SE FOSSE UM MAESTRO DE ORQUESTRA, TENDO O MALHETE, EM VEZ DA BATUTA. A RITUALIDADE OBEDECE AO SEU COMANDO E O RITUAL ENCONTRA DESENVOLVIMENTO POR MEIO DESSE COMANDO, FEITO COM A MAIOR PERFEIÇÃO POSSÍVEL, DENTRO DA CAPACIDADE MAÇÔNICA DE CADA MEMBRO PRESENTE.

ESTAR AOS PÉS DE UM TRONO INDUZ À VENERAÇÃO QUE, POR SUA VEZ, É UMA FONTE DE INSPIRAÇÃO; O VENERÁVEL MESTRE É O MODELO A SER SEGUIDO, UMA VEZ QUE FOI GUINDADO AO POSTO PELA VONTADE DA MAIORIA. NOS MOMENTOS DE INDECISÃO, NA JORNADA DA VIDA, DEVEMOS VISUALIZAR EM NOSSA MENTE O TRONO DA LOJA, OBEDECER E APLICAR OS PRECEITOS QUE NOS FORAM ENSINADOS. A COMUNHÃO ENTRE OS IRMÃOS DA LOJA FAZ COM QUE NOS SINTAMOS SÓ; É UM DOS ASPECTOS DO AMOR FRATERNO E DO ESFORÇO PARA DIMINUIR O SOFRIMENTO DOS OUTROS. O VERDADEIRO MAÇOM JAMAIS SERÁ CAUSA DE  DESAGREGAÇÃO, OU DESUNIÃO.  APRENDE A COEXISTIR VIVENDO EM PAZ, COM AMOR E  TRANQUILIDADE.

O 1º E 2º VIGILANTES - COMO O PRÓPRIO NOME DEFINE OS VIGILANTES, EM SEUS TRONOS, VIGIAM A LOJA, E NESSA VIGILÂNCIA SÃO DILIGENTES E CAUTELOSOS, EVITANDO A PRESENÇA DE ESTRANHOS E MANTENDO O COMPORTAMENTO MAÇÔNICO, QUE COMPREENDE NÃO SÓ A COMPOSTURA, MAS QUE CADA MAÇOM TENHA EM SI O ESPÍRITO DE FRATERNIDADE.

QUANDO O 1º VIG\PERCORRE AS CCOL\, ELE ESTARÁ FIXANDO SEU OLHAR NO OLHAR DO IR\ E ASSIM, CAPACITAR-SE-Á A RESPONDER AO VEN\M\ QUE TODOS OS PRESENTES SÃO MAÇONS; O OLHAR VIGILANTE PERSCRUTA O ÍNTIMO DO IR\, ENCONTRANDO-O DESPIDO DE VAIDADES E PLENO DE BONS PROPÓSITOS.

NO QUE DIZ RESPEITO AOS QUE OCUPAM AS COLUNAS, ESSES DEVEM VER NO VIGILANTE A AUTORIDADE DO CARGO, ACATANDO-O, MANTENDO O TEMPO E A POSTURA AO FALAR, NÃO SE LOCOMOVENDO SEM PERMISSÃO; ESOTERICAMENTE, O 1’º VIGILANTE COMANDA O SETENTRIÃO (SINÔNIMO DE NORTE, E QUE, NA LOJA, É O LUGAR ONDE SENTAM OS APRENDIZES) E PROTEGE A TODOS DAS TEMPESTADES E ANOMALIAS.

O 2º VIG\ EMPRESTA HARMONIA E BELEZA ÀS COLUNAS E COMANDA A SUA PRÓPRIA, DANDO ORDENS AO GUARDA DO TEMPLO E ZELANDO PELA SEGURANÇA DA LOJA. A ELE É DEVIDA A MESMA OBEDIÊNCIA E RESPEITO. COMANDA, OUTROSSIM, O NASCER DA LUZ, UMA VEZ QUE SE SITUA AO NASCENTE.

O LIVRO SAGRADOEXISTEM MAÇONS QUE SÓ CONHECEM OS TRECHOS BÍBLICOS USADOS NAS CERIMÔNIAS MAÇÔNICAS. O LIVRO SAGRADO, OU O LIVRO DA LEI, QUE ESTÁ SOBRE O ALTAR, TEM UM CONTEÚDO FILOSÓFICO E MÍSTICO QUE SE AJUSTA À VIDA. É OBRIGAÇÃO CONHECÊ-LO; PARA APRECIÁ-LO, O MAÇOM TEM DE FAZER DE SUA LEITURA UM HÁBITO. NOTARÁ A GRANDIOSIDADE DO SEU EFEITO E A APROXIMAÇÃO DE DEUS, TORNANDO MAIS COMPREENSÍVEL A FORMAÇÃO DO UNIVERSO.

A MAÇONARIA COMPREENDE FILOSOFIA, HISTÓRIA, MÍSTICA, MITOLOGIA, RELIGIÃO CRISTÃ E HEBRAICA, SENDO A BASE MILENAR O COMPÊNDIO DENOMINADO BÍBLIA OU HISTÓRIA SAGRADA.

SEJA QUAL FOR A FORMA DE UTILIZAÇÃO DO “LIVRO DA LEI”, PARECE QUE ELE TEM, DENTRE OUTRAS POSSÍVEIS, UMA FUNÇÃO BEM DEFINIDA: ESTIMULAR A FORMAÇÃO DE UM AMBIENTE ENERGETICAMENTE POSITIVO DURANTE O DESENVOLVIMENTO DOS TRABALHOS MAÇÔNICOS.

NÃO INTERESSA, EM UM SENTIDO METAFÍSICO PROFUNDO, SE O “LIVRO DA LEI” FICA SOBRE O ALTAR SEM SER ABERTO; SE É APENAS ABERTO OU SE É ABERTO E SE LÊ ALGUMA PASSAGEM. O QUE VERDADEIRAMENTE É IMPORTANTE É O PAPEL METAFÍSICO QUE ESSE INSTRUMENTO RELIGIOSO PODERÁ DESENVOLVER DURANTE OS TRABALHOS MAÇÔNICOS. POR OUTRAS PALAVRAS: SE ELE SERÁ CAPAZ, OU NÃO, DE CONTRIBUIR PARA A FORMAÇÃO DAQUILO QUE O JARGÃO MAÇÔNICO CHAMA DE EGRÉGORA.

A EGRÉGORA – DERIVA DO GREGO EGREGORIEN COM O SIGNIFICADO DE “VIGIAR”. A MAÇONARIA ACEITA A PRESENÇA DA EGRÉGORA EM SUAS SESSÕES LITÚRGICAS. A EGRÉGORA É UMA “ENTIDADE” MOMENTÂNEA; SUBSISTE ENQUANTO O GRUPO ESTÁ REUNIDO; É FORMADA PELAS PARTÍCULAS ESPIRITUAIS DE CADA MAÇOM PRESENTE. PARA QUE SURJA A EGRÉGORA, É NECESSÁRIA A PREPARAÇÃO AMBIENTAL, FORMADA PELO “SOM”, PELO “PERFUME” DO INCENSO E PELAS VIBRAÇÕES DOS PRESENTES; SURGE QUANDO DA ABERTURA E LEITURA DO LIVRO SAGRADO; BROTA DO LIVRO COMO TÊNUE FIO ESPIRITUAL, ADQUIRINDO CORPO ETÉREO COM AS CARACTERÍSTICAS HUMANAS.

OS MAIS SENSITIVOS PERCEBEM ESSA ENTIDADE; ELA SE MANTÉM SILENCIOSA, MAS ATUA DE IMEDIATO EM CADA MAÇOM PRESENTE, DANDO-LHE A ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL DE QUE NECESSITA, MANIPULANDO AS “PERMUTAS” DE MAÇOM PARA MAÇOM, CONSTRUINDO ASSIM A FRATERNIDADE.

PARA CADA LOJA FORMA-SE UMA EGRÉGORA ESPECÍFICA. QUANDO AS LOJAS REÚNEM-SE EM CONGRESSOS E SE APRESENTAM RITUALISTICAMENTE, OBSERVADA A LITURGIA, ESSAS ENTIDADES ESPECÍFICAS PODEM FORMAR UMA EGRÉGORA PARA CADA GRUPO.

OS CÉTICOS NÃO ACEITAM ESSA ENTIDADE; PORÉM O MAÇOM ESPIRITUALIZADO DEVE PROCURAR OS SEUS EFEITOS E ESFORÇAR-SE PARA VISUALIZAR A SUA EGRÉGORA.

 

VALDEMAR SANSÃO

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

 
Livro Banquete Maçônico
Banner
Visitantes Online
Nós temos 17 visitantes online
Twitter

Nos siga no Twitter

Idiomas / Language
English French German Spain Italian
Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Publicidade
Banner
Banner
Banner
Banner